Olimpíadas de Tóquio- Parte 01

  • Home
  • Olimpíadas de Tóquio- Parte 01

As Olímpiadas de Tóquio mal terminaram e já deixaram saudades. Realizado entre julho e agosto de 2021, no Japão, o evento esportivo trouxe medalhas inéditas ao Brasil (alô, Bahia!), que obteve sua melhor performance em jogos olímpicos, com 21 medalhas: sete ouros, seis pratas e oito bronzes. Os memes também não ficaram para trás. Circulando por plataformas diversas, estes produtos culturais foram mobilizados para marcar momentos importantes, ironizar derrotas, reclamar de alguns resultados e, é claro, demonstrar aos outros países que o Brasil ganha em primeiro lugar quando o assunto é meme.

Pensando nisso e procurando eternizar os memes que compuseram as madrugadas brasileiras durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, o #MUSEUdeMEMES preparou um compilado com alguns dos melhores memes que circularam por aqui.

Abertura

A começar pela abertura do evento, realizada no dia 23 de julho. Por conta dos protocolos sanitários contra a Covid-19, a abertura – que, em outros anos, contou com um enorme público e com delegações repletas de sujeitos representando seus países – foi mais modesta e contida. “Distantes, mas não sozinhos”, o slogan ressaltado durante a cerimônia, contudo, já explicitava que isso não tiraria o brilho (nem os memes!) do evento.

A diversidade de memes foi grande: comparações entre as cerimônias realizadas em Tóquio e no Rio de Janeiro, em 2016; os “besuntados de Toga”, em referência a alguns sujeitos que representaram seus países com trajes que fizeram bastante sucesso na internet; expectativas para que famosos personagens de animes japoneses aparecessem durante o evento, como Goku, de DragonBall Z; comparações entre o visual da delegação brasileira e o estilo inconfundível de Agostinho Carrara; além de um sentimento de patriotismo e animação um tanto inesperado por parte dos indivíduos.

Tais memes circularam, sobretudo, pelo Twitter, onde foram indexados a partir da #CerimoniadeAbertura. Mobilizando, principalmente, conteúdo em formato imagético, estes memes aparecem como Reaction Faces, isto é, reações a determinadas situações; Look-alikes, comparando diferentes elementos; Catchphrases, acionando repetidamente termos marcantes, como o “besuntado de toga”; e Exploitables, misturando imagens diversas.

Exemplos Notáveis

Gabriel Medina, Yasmin Brunet, Comitê Olímpico Brasileiro e Letícia Bufoni

Contudo, antes mesmo da abertura dos Jogos Olímpicos já havia memes relacionados ao evento circulando amplamente no Brasil. Alguns destes faziam referência a um conflito entre o surfista Gabriel Medina e o Comitê Olímpico Brasileiro, após sua esposa e modelo Yasmin Brunet ser vetada da viagem. Devido aos protocolos sanitários, não foram permitidos acompanhantes dos atletas olímpicos, apenas membros essenciais de suas respectivas equipes. Yasmin se inscreveu como coach de Medina, mas não foi aceita, o que gerou uma série de comentários e alfinetadas do casal pelas mídias digitais.

Estas, por sua vez, geraram diversos memes, que ironizavam a situação, comparando o comportamento de Medina com o de Rayssa Leal, atleta de 13 que também viajou sozinha e demonstrou completo entendimento sobre a necessidade de tais restrições. Outros memes também apresentaram montagens de Yasmin Brunet em uma famosa cena da novela América, na qual a personagem de Deborah Secco se esconde no porta-luvas de um carro para conseguir entrar ilegalmente nos Estados Unidos (Exploitable).

A confusão piorou durante os Jogos Olímpicos, quando Letícia Bufoni, atleta que estava no Japão disputando a modalidade skate street, alfinetou o casal, compartilhando uma publicação que ironizava a situação de Gabriel Medina e Yasmim Brunet. Os memes, que circularam principalmente no Twitter, foram compartilhados por veículos como Lance e R7, apresentando-se, principalmente, em formato Exploitable.

Douglas do Vôlei

Logo no início dos jogos, o ponteiro da Seleção Brasileira de Vôlei Douglas Souza viralizou nas plataformas digitais por conta dos vídeos de bastidores dos preparativos para as Olimpíadas. O primeiro vídeo a viralizar foi um registro do jogador desfilando, no estilo catwalk, durante um treino. O vídeo foi repostado pela ex-BBB 21 Camilla de Lucas e, a partir de então, Douglas passou a ser inspiração para a produção de memes.

https://twitter.com/camilladelucas/status/1417282095358038018 

Dublando músicas, interagindo com o público e com os colegas de time, o atleta ganhou mais de 935 mil seguidores em 48 horas. Sendo assim, do dia para a noite Douglas Souza tornou-se um fenômeno na internet brasileira, com seus stories do Instagram utilizados para ancorar comentários sobre os jogos olímpicos – e suas imagens replicadas em diversos memes no formato Reaction Face. Memes que indicavam torcida e apoio a Douglas também circularam por meio de montagens (Exploitables), como é o caso da “Menina fã”. O bom humor do jogador e seus memes foram importantes também em relação à representatividade LGBTQIA+ nas Olimpíadas, uma vez que ele era o único gay na Seleção Brasileira de Vôlei em Tóquio.

Fadinha do Skate

Rayssa Leal, a fadinha, foi responsável por dar ao Brasil uma de nossas medalhas de prata, ao ficar em segundo lugar na competição de skate feminino na modalidade Street. Com apenas 13 anos, a atleta, conhecida como “fadinha" nas plataformas sociais, é considerada um fenômeno. O apelido é decorrente de sua pouca idade e de um vídeo que viralizou quando ela andava de skate, aos sete anos, fantasiada de fada enquanto executava heelflips (tradicional manobra de skate).

Os memes com a Fadinha do skate circularam por meio de montagens (Exploitables), como os casos em que imaginaram como seria um jogo de videogame com a brasileira – fazendo referência ao famoso jogo eletrônico Tony Hawk's Pro Skater, que conta com o skatista consagrado mundialmente Tony Hawk como personagem principal. Outros memes foram compartilhados utilizando o formato Look-alike para comparar Rayssa com personagens famosos, como Sasuke, do anime Naruto. O perfil oficial das Olimpíadas também entrou na onda e compartilhou imagens de Rayssa para reproduzir um meme clássico: “Início de um sonho // Deu tudo certo”. Com muitos fãs e pouca idade, também circularam muitos memes acionando a chamada “menina fã” para declarar torcida e apoio a Rayssa.

Despertando o melhor de nós?

Outro meme que se tornou popular durante os Jogos Olímpicos teve sua origem no slogan que a Rede Globo adotou para a cobertura do evento: “Despertando o melhor de nós”. Em meio a tantos jogos, modalidades e rivalidades, a frase logo foi apropriada em tom irônico, sendo acionada, em formato textual, sempre com outra frase que quebra as expectativas relacionadas ao “melhor de nós”.

O meme logo se popularizou no Twitter e no Facebook, sendo acionado para destacar rivalidades entre o Brasil e outros países. Durante a final do skate ou ainda durante os jogos de vôlei da seleção masculina, o meme “despertando o melhor de nós” apareceu amplamente. Por acionar um bordão, este meme pode ser entendido como Catchphrase.

Rosamaria paixão nacional

No entanto, nem só de rivalidades se constitui uma partida olímpica. Os Jogos de Tóquio também protagonizaram o começo de uma paixão entre os brasileiros e a jogadora da seleção feminina de vôlei, Rosamaria Montibeller. Tudo começou durante o jogo das quartas de final, Brasil contra o Comitê Olímpico Russo, quando Rosamaria saiu do banco e virou peça decisiva na quadra. Criando jogadas importantes para a vitória do Brasil, a atleta marcou os três últimos pontos de set final, levando a seleção brasileira às semifinais.

Durante o jogo, diversos memes ovacionando Rosamaria começaram a circular pelo Twitter, seja elogiando suas movimentações, seja falando de suas feições após marcar um ponto. Nesse sentido, logo viralizou um GIF no qual a atleta, após marcar para o Brasil, bate forte em seu tronco e corre para o abraço das colegas. Assim, as declarações de amor à Rosamaria não foram poucas: desde imagens demarcando o #TeamRosamaria (Exploitable), até publicações que inseriam, junto à imagem da atleta em quadra, trechos de músicas, como “entra na minha casa, entra na minha vida”. Também circularam memes diversos em formato Reaction.

Reações a jogos difíceis

O amor por Rosamaria, contudo, não impediu a frustração dos brasileiros em alguns jogos. Sem uma origem estabelecida, estes memes circularam amplamente no Twitter durante todo o evento. Aparecendo, sobretudo em formato Reaction, estes memes comentaram uma série de acontecimentos durante diferentes jogos de modalidades diversas. O futebol, o vôlei, a ginástica artística foram algumas destas que, conforme os memes, geraram muitos berros e lágrimas entre os torcedores, além de intensificar a rivalidade esportiva entre países como Brasil e Argentina.

Calma, buceta, caralho!

Em meio a esses berros e lágrimas, podemos acionar a frase dita por Alison, do vôlei de praia brasileiro: “Respira, calma, buceta, caralho!”. A frase incisiva foi direcionada ao companheiro de quadra de Alison, o atleta Álvaro, durante um dos intervalos do jogo contra a Holanda. Sendo transmitida ao vivo por um dos canais associados à Rede Globo, a frase logo viralizou, sendo acionada por diversos indivíduos durante os Jogos Olímpicos.

Entendido como Catchphrase, o meme aparece, sobretudo, em duas versões. A original e uma reduzida: “calma, buceta, caralho!”, sendo esta majoritária. Assim, este meme é utilizado, principalmente, como uma espécie de recomendação dos indivíduos para eles próprios durante momentos diversos.

Ficha técnica

Jogos Olímpicos de Tóquio

Criador(a)
Desconhecido (a)
País de Origem
Brasil
Período de Circulação
2021
Plataforma
Twitter, Facebook e Instagram
Formatos
Exploitable, Reactions, Look-alikes e Catchphrase
Mídia
Imagem, Texto e Vídeo
Referências
Olimpíadas de Tóquio
Sobre o(a) curador(a) desta coleção
As 30 Personalidades de Lelê a 80km/h
0 entries
0 comments
Name
Letícia Sabbatini
About / Bio
Lelê a 80km/h já foi aspirante a pedreira, médica, chefe de cozinha e bailarina. Acabou caindo no jornalismo por escolha de suas outras 26 personalidades (viva la democracia!). Mestranda em Comunicação pela UFF e jornalista pela UFRRJ, Letícia se dedica a pesquisar tecnologias com recortes de gênero, mas também é obcecada por Masterchef, filmes da Disney e séries de investigação criminal.
Logo

About Us

Get Consultation

Contact Us